Filtre por assunto: Gestão Inovação Tecnologia
Indústria_de_alimentos

Indústria de alimentos e bebidas: 5 cuidados no controle de estoque de perecíveis

Muito se fala em inovação e novas metodologias para o aperfeiçoamento dos processos, mas tudo isso pode parecer algo distante e voltado apenas para modelos recentes de negócios. Contudo, a verdade é que boas práticas e novas tendências de mercado devem ser também consideradas por iniciativas de maior porte.

Dessa forma, grandes empresas também podem (e devem) estar atentas para a melhoria contínua de suas rotinas. Com o foco em reduzir perdas e garantir mais lucratividade, neste post falaremos sobre um assunto que tem uma correlação bastante forte entre resultados operacionais e redução de desperdícios: o controle de estoque de perecíveis.

Exigindo um grande nível de profissionalismo e uma gestão atenta, alimentos e bebidas são itens delicados e precisam ser corretamente gerenciados para que se possa garantir uma qualidade adequada de comercialização.

5 cuidados no controle de estoque de perecíveis

Para entender mais sobre o assunto, conheça os cuidados que sua empresa deve ter ao realizar o controle de estoque de itens perecíveis e veja como a tecnologia de um ERP pode ser sua aliada.

1. Cuidados sanitários

Para evitar problemas com a fiscalização e também à degradação desses itens, alguns cuidados sanitários são bastante importantes no dia a dia da empresa.

O termo sanitário está diretamente relacionado à higiene. Sendo assim, é necessário garantir que um controle de limpeza seja implementado com muito rigor durante todo o processo que envolve o recebimento, a estocagem, a manipulação e a venda desses itens.

Os funcionários que trabalharem diretamente com os produtos devem estar bem treinados e utilizando equipamentos limpos e que garantam a minimização de riscos de contaminação.

Cada tipo de produto requer um cuidado específico, e as rotinas de limpeza e isolamento dos itens devem ser pensadas individualmente. Assim, variações até mesmo na composição e na concentração de produtos de higienização devem ser observadas para evitar danos à saúde dos consumidores.

Vale a pena destacar que equipamentos de proteção adequados como luvas, máscaras e botas devem ser oferecidos e utilizados pelos funcionários envolvidos no processo.

2. Cuidados com a logística

A logística é um processo bastante complicado, que contempla desde a solicitação de itens junto ao fornecedor até a entrega ao consumidor final. Em meio a tantas atividades inerentes, alimentos e bebidas acabam ficando vulneráveis a vários riscos e, mesmo sendo muito bem cuidados, ainda há chances de perdas devido à alta sensibilidade de alguns itens.

Um dos processos mais complicados — e na maioria das vezes o mais caro — é o de transporte. Geralmente absorvendo algo entre 50% a 70% do custo da logística, ele também é um vilão quando o assunto é a perda de produtos, especialmente os perecíveis.

Por isso, é muito importante que a fase de transportes receba muita atenção. Seja no momento de aquisição dos produtos ou na fase de oferta aos clientes, bebidas e alimentos precisam estar muito bem embaladas. O isolamento de potenciais riscos como umidade, poeira e produtos manipulados no ambiente também é outra providência que deve ser tomada.

Nesses momentos, a utilização de ferramentas como um bom ERP é fundamental para garantir que o processo seja o mais rápido e controlado possível. Reduzindo prazos e conseguindo acompanhar de perto por onde anda cada item, as chances de contaminação e exposição a fatores que ameacem a integridade dos produtos diminui, o que torna os processos operacionais bem mais seguros.

Controle_estoques

3. Cuidados durante a armazenagem

Ao manter produtos perecíveis guardados, alguns cuidados devem ser observados. Antes mesmo de descarregar os alimentos e as bebidas, é preciso conferir se o ambiente está devidamente preparado para receber a carga. Goteiras e vazamentos devem ser eliminados, e materiais perigosos, como vidros quebrados e lixo, devem ser retirados.

Quanto ao isolamento, é necessário ter portas adequadas, que não tenham grandes distâncias do piso. Umidade e temperatura também são outras preocupações que merecem atenção.

Outro ponto em destaque é quanto ao isolamento de lâmpadas e materiais que possam vir a cair sobre os alimentos, causando riscos à saúde. Em caso de separação de itens para o descarte, esses devem ficar em um ambiente totalmente diferente daquele em que os produtos próprios para o consumo estão armazenados.

4. Cuidados com o manuseio

Em alguns momentos o controle de estoque será afetado pelo manuseio e pela movimentação interna de produtos. Por isso, é muito importante que as equipes envolvidas nesses processos sejam bem treinadas.

Mais do que isso: os funcionários precisam cumprir rotinas de higienização tanto dos alimentos e das bebidas quanto dos equipamentos e utensílios utilizados nos processos.

Considerando ainda a preocupações além da higiene, é preciso ressaltar que alguns produtos são mais delicados e não podem ser empilhados de qualquer jeito. Um bom exemplo são os itens enlatados. Embora a sua embalagem seja mais resistente, uma movimentação e/ou empilhamento inadequado pode acabar gerando amassados que tornam os produtos impróprios para o consumo.

O ideal é conseguir criar rotinas de trabalho que minimizem a necessidade de manipulação desse tipo de estoque. Assim, os riscos de perdas e contaminações também são reduzidos.

5. Cuidados no controle de estoque

Além dos cuidados nos processos, na manipulação e no acondicionamento de produtos alimentícios, é necessário também manter um bom nível de atenção quanto ao controle de estoque de perecíveis. Uma preocupação que deve ser levada em conta quando o assunto é estocagem é a questão dos prazos de validade.

Ainda que muito bem acondicionados e também manipulados, alimentos e bebidas têm prazos de validade que precisam ser controlados com muito cuidado. Variando de acordo com o lote e o tipo de produto (carnes, laticínios, enlatados, refrigerantes etc.) cada item deve ter a sua validade bem acompanhada.

Como é impossível fazer esse tipo de gestão de maneira manual, tendo em vista o grande volume de itens, é primordial que se tenha um sistema que tome conta de tudo de maneira eficiente. É preciso conseguir rastrear cada lote e colocá-los à venda antes que seja tarde demais.

Com um giro de vendas normalmente mais rápido do que outros tipos de produtos, alimentos e bebidas exigem uma gestão mais detalhista e profissional. Por isso, na hora de fazer o controle de estoque de perecíveis, as empresas não podem abrir mão de soluções e rotinas de trabalho que coloquem em risco seus investimentos e também a saúde dos consumidores.

Se você quer entender melhor as formas de aprimorar resultados do seu negócio, descobrir tendências de mercado e conhecer boas práticas de gestão de empresas assine a nossa newsletter! Temos sempre conteúdo atualizado e direcionado para melhorar a sua empresa!


Fique por dentro das novidades. Assine a newsletter da Consistem.