Filtre por assunto: Gestão Inovação Tecnologia

Tributação: 2 fatores que sua empresa precisa prestar atenção

Tributação! Uma palavra que em alguns pode causar arrepios e assustar, mas que precisa ser dominada para ser realizada da melhor maneira. Isso porque, independente da segmentação de mercado, toda empresa precisa fazer o seu balanço financeiro e pagar impostos.

Para você ter uma ideia da importância deste campo, segundo dados do IBPT 33% do faturamento empresarial é destinado ao pagamento de taxas. Ou seja, lidar com questões tributárias é sempre um grande desafio.

E para que sua empresa possa garantir as melhores práticas na hora de contribuir, mantendo-se em ordem com o fisco, confira as 2 dicas que separamos no post de hoje.

Escolha o regime de tributação mais adequado

A escolha do regime tributário é um dos passos mais importantes para o sucesso de uma empresa. Uma opção mal feita nesta etapa do processo pode gerar a necessidade do pagamento de um conjunto de impostos inadequado, comprometendo a saúde financeira do negócio, ou até mesmo gerando problemas fiscais com a Receita Federal.

mãos seguram caneta e calculadora fazendo cálculo sobre tributação

Em outras palavras, muitas empresas pagam mais do que deveriam simplesmente por falta de uma análise mais criteriosa do faturamento previsto, da forma de atuação, dos clientes e fornecedores, prazos de recebimentos e pagamentos, entre outros fatores que podem determinar a opção correta de tributação para o modelo de negócio.

Atualmente temos três grandes regimes de tributação no Brasil:

Lucro Real – Forma mais complexa de tributação, na qual os impostos são calculados considerando-se a movimentação da empresa.

Lucro Presumido – Forma de tributação simplificada, mas abrange apenas os impostos federais, onde o lucro para tributação de IRPJ e CSLL é presumido através de % estabelecido pelo governo.

Simples Nacional – Categoria simplificada de recolhimento de impostos aplicado a micro e pequenas empresas, onde o faturamento define se a empresa pode ou não ser optante do simples, e por esse faturamento define-se a alíquota aplicável.

Uma dica importante: procure conhecer os regimes de tributação e saber como seus concorrentes trabalham, pois isso pode fazer uma grande diferença na hora de definir o seu preço de venda. E se você estiver com dúvida, consulte a calculadora de impostos desenvolvida pelo SEBRAE.

Não negligencie o planejamento tributário

Se você realiza um planejamento estratégico para definir metas em longo prazo, porque não investir um tempo em um planejamento tributário também? O planejamento tributário, muitas vezes negligenciado ou até mesmo desconhecido por muitas empresas, pode ser uma fonte imensa de oportunidades para melhorar os resultados financeiros do seu negócio.

E esse planejamento, nada mais é do que um estudo prévio sobre a carga fiscal imposta à pessoa jurídica. Assim, será possível avaliar as maneiras de reduzir legalmente a carga tributária que incide sobre ela. Afinal, você sabe bem que, para ter um produto ou serviço competitivo, chegar a um preço de venda mais baixo é fundamental, e um dos fatores que atrapalham essa questão são os altos impostos.

E, o planejamento pode auxiliar sua empresa a aliviar a carga tributária de forma a reduzi-la ou isentá-la, como por exemplo, aproveitando uma regra de isenção de tributos ou utilização de um benefício fiscal.

Quer mais dicas para melhorar o dia a dia da sua empresa? Curta nossa página no Facebook! J

Fonte: SEBRAE, Administradores, Conta Azul